EXPOSIÇÕES

Exposição Individual Controle
Galeria AAPLAJ
2019

A Exposição “Controle”, do artista visual Andrey Roca, é uma reflexão sobre o poder. O conceito de poder é o direito de deliberar, agir, mandar e, dependendo do contexto, exercer sua autoridade, soberania, a posse de um domínio, da influência ou da força.

Todos os dias, vimos este conceito retratado ao nosso redor, por vezes de forma explícita e por outras sorrateiramente, o que ocorre é que em muitos casos, nós somos a parte que exerce esse poder e não percebemos isso, afinal de contas somos pessoas de bem, portanto,  tal comportamento não se enquadra em "nossas crenças e valores" e passamos a nos excluir de tal comportamento de que tanto desprezamos.

O artista apresenta, em cada obra, referências a grandes nomes que demonstram o poder atuando sobre a humanidade. A exposição tem curadoria de Marc Engler. 

14 Bienal Internacional de Curitiba
MASC SC
2019

A ideia de fronteira já não pertence só ao território, à geografia política. Há tempos que se expandiu conceitualmente e faz parte de um universo maior de questões mais abrangentes e, sobretudo, mais transversais. Já tem um imaginário plural que toca aspectos de naturezas encontradas. Longe, portanto, da física comensurada, tranquilizadora, de uns limites geográficos que respondem a uma narrativa temática, e mais perto das distorções significativas de índole social, tecnológica, cognitiva, epocal. Ainda mais em nosso tempo cheio de mudanças e transformações de signo diverso (com a concorrência das novas coordenadas espaço-temporais, a globalização, a pós-história, a tecnologização do mundo, a crise ambiental, a procura de novas cosmologias etc.), o que desloca o sentido das antigas semânticas, fixadas unidimensionalmente em um sentido único.

Por um lado, a história contemporânea, a de nossos dias mais recentes, tem não só modificado a noção alfandegária, imóvel, de fronteira, como há desvirtuado algumas antigas, espacialmente, no próprio plano do território. Fruto de conflitos históricos e de diversos tipos, tem-se mudado fronteiras, regiões, países, trocando de signo e realidade a vida de populações inteiras. Nossa época vive um grau de incerteza tal que as noções físicas e simbólicas de local, lugar, fronteira têm sofrido uma grande erosão e transformação, para o bem e para o mal. Agora já sabemos que há fronteiras reais e também invisíveis que se contradizem e estabelecem litígios nada pacíficos. Que a fronteira pode ser várias coisas ao mesmo tempo. 

                                                                                                               

                                                                                                 Adolfo Montejo Navas -  Tereza de Arruda

Exposição Coletiva Escultura-Estrutura
Galeria AAPLAJ
2019

Conceituar, pesquisar, discutir... espaço, forma e material. É a vontade de criar, ousando no campo da Gestalt, novas concepções que transbordam do pensamento para territórios da linguagem universal da Arte.

Ferro, cerâmica, madeira, arame, acrílico, plástico, papel, papelão, tecido, vidro, mármore...

É a ESCULTURA que vai se espraiando em práticas e poéticas, na captura da beleza, no jogo dos conflitos e nos enfoques lúdicos.

Aos Artistas cabe dar materialidade ao Mundo das Idéias, como dizia Platão.

                                                                                                                     

                                                                                                                                         Asta dos Reis

Exposição Individual Fronteiras
Galeria Garten
2019

Do pangeia, continente único sobre a Terra, aos dias de hoje avançamos muito em geografia, cultura e questões socioeconômicas, o que antes era o todo, hoje é separado. Criamos barreiras religiosas, políticas, raciais e econômicas, fronteiras que ora se fundem, e ora segregam.

Com esse tema o artista visual Andrey Roca apresenta a exposição FRONTEIRAS, uma reflexão que trafega entre linhas tênues sobre as relações humanas e seus espaços.

Com coragem e vigor, as obras abstratas de Andrey fazem refletir sobre as pessoas que, por causa da guerra ou da fome, tiveram que sair de suas casas para encontrar refúgio em outro lugar. Trazem a reflexão sobre a importância do multiculturalismo e como a sociedade civil pode contribuir para a paz ou para o conflito com os refugiados que estão em busca de uma vida segura e melhor.

O projeto tem curadoria de Marc Engler e apoio do Garten Shopping e Univille.

Exposição Individual [DES] Controle
Galeria Garten
2018

Nos trabalhos apresentados nesta série, Andrey Roca transforma manchas de cores em simbolismos subjetivos, um poder que flui e influencia diretamente a alma e mostra um suposto descontrole que representa seu eu interior mais visceral, contudo percebe-se linhas sutilmente colocadas, expressando o desejo e a intenção ainda latente de controlar as circunstâncias.

[Des] Controle é um convite para uma reflexão que liberta o expectador para interpretar a obra através de seu olhar e desvendar os mistérios da sua própria necessidade de controlar e criar definições para tudo que observa.

                                                                     

                                                                                                                                         Marc Engler

Exposições Coletivas Linhas, 100X100, Casa, Azul e Fotogênese
Galeria AAPLAJ
2018 - 2019

Em suas instalações, Andrey Roca busca trazer interatividade ao público, tirando-o do conforto de mero espectador para algo que seja realmente interpretado e sentido, tornando-o parte da obra.

 

Essas obras são feitas para serem não somente vistas mas também tocadas, manipuladas e até mesmo alteradas, além disso traz a tona um dos temas mais relevantes de nossa atualidade, a crise dos Refugiados que tem causado a morte de milhares de pessoas pelo planeta, sendo a maioria delas Crianças.

Obrigado por compartilhar esta página